NOVA ODESSA, 21 DE ABRIL DE 2018
  • NOSSOS BALUARTES
Publicação.: 14/02/2011

STA. JOSEFINA BAKHITA

STA. JOSEFINA BAKHITA
Desde sua origem a nossa comunidade de aliança identificou-se muito com Santa Bakhita. Nossa casa de missão nasceu ao lado da Igreja dedicada à Santa Bakhita e sob seu olhar fomos sentindo-nos protegidos e fortalecidos na graça de nossa vocação de Filhos do Céu. A Filha da Caridade acolheu com carinho os Filhos do Céu.
A história pessoal de Santa Bakhita é uma belíssima página da história da Salvação e do resgate. Ele é uma mulher pascal, pois passou “da triste escravidão à dignidade de filha de Deus e esposa de Cristo” (do Oremos da Missa de Santa Bakhita), e de seus lábios brotava um hino de exaltação e de louvor a Deus: eu vos exalto Senhor, porque me libertastes! Santa Bakhita é uma mulher pascal, pois foi resgatada pelo Senhor de uma história de dor e sofrimento para viver intensamente uma história de amor, de bem-aventuranças, de salvação e resgate. A vida e a história de Santa Bakhita são exemplos vivos e verdadeiros de que tudo neste mundo pode ser transformado pela força resgatadora da ressurreição do Senhor Jesus Cristo.
Santa Bakhita viveu uma vida bem-aventurada; seu nome significa bem-aventurança, feliz, aquela que tirou a melhor sorte. Por isso reconhecemos que Santa Bakhita é a atualização e o exemplo concreto das bem-aventuranças proclamadas por Jesus Cristo como um novo decálogo e o espírito de toda a Lei (cfr. Mt 5).
Após encontrar-se com o Senhor crucificado e ressuscitado, Santa Bakhita deixou-se seduzir pelo seu convite resgatador: de criatura amada à filha do Amor, consagrada ao serviço dos pobres. Amada por Deus amou o Amado em todas as criaturas, particularmente nos pobres e pequenos. Sua vida foi marcada pelo dor e foi purificada pelo próprio Senhor, como nos diz o profeta: “como a prata, eu te purifiquei para mim, e no crisol da aflição te provei. Eu te mostro o caminho por onde deves andar” (Is 48,10.17).
“O amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santto que nos foi dado” (Rm 5,5). Este amor derramado foi acolhido generosamente pelo coração grande de Santa Bakhita. De seu coração nasceram virtudes humanas e cristãs que são preciosas à vida virtuosa dos Filhos do Céu. Entre tantas virtudes merecem destaques a sua simplicidade, sua humildade, seu sorriso constante, sua afabilidade, sua bondade, sua disposição ao trabalho, mesmo os mais simples, sua alegria e a paz que comunicava, seu exemplo de mansidão e de abandono às mãos de Deus, sua disponibilidade, sua serenidade interior. Por fim Santa Bakhita é modelo atual de vida cristã e de serviço ao Senhor.
O espírito de reconciliação animou sua vida, mesmo diante das torturas e sofrimentos que padeceu na sua infância e juventude. Mulher da reconciliação e do perdão, Santa Bakhita foi capaz de amar a todos e até os inimigos a agressores (cfr. Lc 6,28). Olhando para sua vida nós constatamos a integração do passado e de sua história, mesmo se permaneceram cicatrizes e recordações dolorosas. Quando chegou a velhice e longa e dolorosa enfermidade ela continuou a consagrar e oferecer o seu testemunho de fé, de esperança, de bondade cristã. Em sua vida viveu a bem-aventurança e, como prêmio, participou da glória dos céus. Santa Bakhita é uma exemplar Filha da Caridade e do Céu que nos conduz no seguimento de Cristo e na estrada das virtudes.
O Papa João Paulo II (17/05/1992), ao proclamar Josefina Bakhita como Bem-aventurada, chamou-a de ‘Irmã Universal’ propondo-a como modelo de vida cristã a toda a humanidade. A santidade é um dom divino para todo o universo, é uma escolha particular de Deus (cfr. I Cor 1,26-31), para tornar ainda mais bela a sua amada Igreja e a nossa comunidade de aliança.
Santa Bakhita é um forte exemplo da pessoa resgatada que em Cristo tornou-se livre (cfr. Gal 2,20). Foi com toda liberdade de espírito que nossa padroeira consagrou sua vida e história entre as Filhas da Caridade-Canossianas, tornando-se assim uma fiel consagrada seguindo os passos de Santa Madalena de Canossa. Ao contemplarmos as maravilhas de Deus em Santa Bakhita somos chamados a uma vida transfigurada, a uma vida bem-aventurada, a uma vida santa. Para cada Filho do Céu a santidade é um dom e um apelo que envolve e aquece seu coração.
Pelo dom do Batismo e da consagração Santa Bakhita passou da vida resgatada para resgatadora, seja pela profunda interioridade e serenidade de espírito, seja por gestos simples, profundos e proféticos. Por acreditar piamente na força e no poder da oração ela tornou-se para os Filhos do Céu um fiel exemplo da busca de Deus e da comunhão com Ele pela prática e espírito de oração.
Com profundo reconhecimento a Deus os Filhos do céu acolhem a intercessão de Santa Bakhita por nossa missão resgatadora e suplicamos aos céus a graça de um espírito de serena obediência, de profunda alegria e felicidade por pertencermos ao Senhor, a graça da constância na consagração e da disponibilidade à missão.
Santa Bakhita manteve em sua vida uma profunda confiança em Nossa Senhora. Que a sua intercessão junto à Mãe de Jesus torne cada vez mais nossa vida e nossa casa de missão uma morada das bem-aventuranças, isto é, uma ‘casa Bakhita’.
Por fim reconhecemos mais uma vez que “o amor de Deus foi derramado em nossos corações” (Rm 5,5), e, pela intercessão de Santa Bakhita, este amor seja renovado a cada dia. Ter Santa Bakhita como padroeira dos Filhos do Céu é acreditar na força de sua intercessão, significa acolher seu exemplo de vida e suas virtudes, significa crer na santidade cristã, pessoal e comunitária. A Deus nosso profundo reconhecimento pelo dom de Santa Bakhita ao mundo e aos Filhos do Céu.