NOVA ODESSA, 23 DE JANEIRO DE 2018
  • DIREÇÃO ESPIRITUAL
Publicação.: 07/04/2011

Quando uma pessoa precisa mais do nosso amor?

Quando uma pessoa precisa mais do nosso amor?
Quando uma pessoa precisa mais do nosso amor?

Falamos muito do amor, de que precisamos amar e ser amados. Apesar das nossas diferenças temos algo em comum queremos amar e ser amados, de preferência que esse amor não imponha condições. Queremos que esse amor esteja presente nos momentos das nossas vitórias, como na hora em que fracassamos, quando estamos fortes e quando abatidos.
No momento da alegria quanto na intensidade de nossa dor. Na qualidade que temos tanto nas falhas que cometemos. Mas logo percebemos que não é assim que acontece no dia a dia de nossa vivência com as pessoas.
Percebemos o quanto é fácil amar quando tudo está bem, quando não há problemas e dificuldades, quando tudo está prosperando, quando tudo está no lugar e organizado, quando não há dor e nem tristeza, quando não há conflitos, ou seja, quando tudo está em harmonia.
Como temos facilidade de amar as pessoas quando não percebemos que ela tem suas limitações, dores, confusões, desequilíbrios e tantos outros.
Fácil amar alguém que parece estar pronto, aparentemente inteiro e que está sempre contente.
Fácil amar quando somos ouvidos mais do que permitimos ouvir. Amar aqueles que tiveram noites sofridas e na manhã seguinte acorda com sorriso no rosto todo bonito.
Fácil amar na mesa de uma lanchonete, numa tarde de cinema, no shopping dividindo nossos sonhos de consumo, imediato ou futuro, num bate papo na casa de um amigo, nas férias, no churrasco de domingo, nas festas agendadas, no calendário de vez em quando.
A nossa dificuldade de amar está quando o outro desaba, quando não crê em mais nada, quando ele se paralisa. Quando perde a beleza e sua identidade.
Difícil amar aquele que fala o tempo todo do seu drama e da mesma mágoa. Aquele que fica cada vez mais diferente do que costuma ser ou mais parecido com alguém que não aceitamos. Difícil é permanecer ao seu lado quando parece que todos já foram embora, quando parece que até a própria alma já se retirou.
Difícil amar quando não encontramos mais justificativas pro nosso amor, pois achamos que tudo tem que ter explicações em nossa vida. Difícil amar quando a dor do outro é tão intensa que não sabemos como ajudar. Quando tudo fica escuro e a noite é longa e fria. Quando ele parece desistir dele mesmo.
Difícil amar quando o outro nos inquieta, quando suas dores e seus medos aparecem de forma que os nossos serão descobertos, expondo assim nossas fragilidades. Quando ele grita por socorro e esse pedido exige que a gente saia do nosso egoísmo e comodismo para ir ao seu encontro.
Difícil amar quando parece sempre o mesmo filme e a mesma música de sempre. Quando sua autoestima já está tão baixa que nem as pessoas acreditam mais nele, quando parece que até nós estamos nessa situação.
Difícil amar quem não se ama. Mas acredito que seja esse momento que ele precisa ser amado, basta olhar pra dentro de nós mesmo e perceber os momentos da nossa vida que também não conseguimos amar. É nesse momento que mais precisamos ser amados: QUANDO NÃO MERECEMOS ESSE AMOR.

Luciana, fdc